Sobre Honrar Pai e Mãe

12, nov, 2019 | Artigos, Religião | 0 Comentários

Quando você olha para tudo que sua mãe fez por você e calunia sua honra dizendo que foi apenas fruto da ingenuidade de uma mulher escravizada psicologicamente por um “sistema”, o preço que você paga na alma é o de nunca mais sentir que foi amado por ela. Ela pode ter sentido amor por você, mas tudo que ela fez seria expressão de um sistema de opressão, não de amor.

Igualmente, se você calunia a honra do seu pai chamando seus esforços de prover por sua família de um ato de domínio e de usufruto de um poder injusto, você nunca se sentirá objeto do amor dele, apenas um favorecido por um sistema perverso.

Sobre Honrar Pai e Mãe

Se além disso você vê o casamento deles como uma instituição de escravidão e opressão e não de amor, você vê a si mesmo não como um amado fruto do amor, mas como um acidente de um processo mau.

E é por isso que tanta gente é carente, sente-se mal amada, cheia de “problemas” com os pais, isolada no mundo, um átomo solto que precisa fazer de um grupo de amigos, ou de uma ideologia, o substituto emocional da família.

No fundo, é o preço que se paga por quebrarmos em nosso coração o mandamento de “honrar pai e mãe”.

[grwebform url=”https://app.getresponse.com/view_webform_v2.js?u=SY5GD&webforms_id=10948203″ css=”on” center=”off” center_margin=”200″/]

Artigos recentes

A Literatura Perigosa

Queria que as pessoas parassem com essa história de que “a literatura é uma ocupação perigosa”.
Wodehouse nunca “enfiou a cabeça no escuro”. Ou ele estava “enfiando a cabeça no escuro” quando escreveu que o Bertie teve que deixar o Jeeves cortar a gravata preferida dele? Ou que o Gussie Fink-Nottle bebeu suco de laranja com gim e nadou numa fonte pra caçar lagartixas

Saudade (crônica)

Entendo o que disse um dos principais autores da literatura lusa, o poeta português Manuel de Melo, quem definiu a saudade como um «bem que se sofre e mal de que se gosta».

Um Outro Inferno

Thomas Hobbes disse que “O Inferno é a verdade conhecida quando é tarde demais”. Em “Se Houvesse Um Homem Justo na Cidade”, Diogo Fontana nos apresenta uma outra possibilidade de Inferno, que é quando se conhece a verdade cedo demais e não conseguimos comunicá-la.

Categorias

Privado: O Bosque da Invernada dos Fundos

Detalhes do autor

Fábio Lins Leite

Nasceu no Rio de Janeiro. É professor de inglês e tradutor. Pós-graduou-se em teologia ortodoxa no Hellenic College Holy Cross, nos Estados Unidos.