Deus tem privilegiados?

Deus tem privilegiados?

E não foi justamente assim a vida do professor Olavo de Carvalho? Um homem “comum”, pobre e sem estudos formais, que passou pelas maiores dificuldades e reviravoltas na vida, tornou-se, de forma surpreendente, um assombroso instrumento de salvação e reerguimento para uma multidão de pessoas.

Tia Creuza, piedosa (conto)

Tia Creuza, piedosa (conto)

Tia Creuza era uma católica-espírita muito curiosa. Sentada em sua cadeira de jardim, que fazia as vezes de poltrona na sala, devido à sua condição financeira, observava a estante cheia: santos, terços, um Buda, um Ganesha, Nossa Senhora das Graças… Além da Bíblia, aberta na metade de um capítulo que ela nunca pensaria em ler.

Um filósofo na igreja

Um filósofo na igreja

A silhueta do prof. Olavo projetava-se, em contraluz, sobre um dos vitrais dianteiros da igreja. Para espanto do meu imaginário ainda infantil, entretanto, não via ali nenhum super-herói filosófico.

Magia e destruição

Magia e destruição

Essa foi uma anotação encontrada na cópia de Adolf Hitler do livro de Schertel, Magia: História, Teoria, Prática. Parece que Hitler não tinha problemas com “sementes demoníacas”. E ele queria “dar à luz um novo mundo” — assim como Karl Marx e Vladimir Lenin.

A sabedoria do romancista

A sabedoria do romancista

Qual a importância da sabedoria num romance? É possível que um tolo completo seja um grande romancista? Tolstói agiu como um tolo a vida inteira; e na verdade se torcerem meu braço não sou capaz de dizer um grande romancista que agisse como um sábio.

Os Alienígenas do Presente

Os Alienígenas do Presente

A hierarquia do Ser é totalmente desconhecida pelo homem contemporâneo. A falta de instrução religiosa (a catequese virou uma palhaçada piegas) tornou as multidões ignorantes um alvo fácil para toda sorte de pirotecnia ocultista. Ninguém mais entende nada sobre os planos divino, espiritual e psíquico.

A universidade medieval e a contemporânea

A universidade medieval e a contemporânea

Sócrates, que era um grande professor, não oferecia diplomas, e o estudante moderno que sentasse aos seus pés durante três meses exigiria um certificado, algo tangível e externo que pudesse exibir como uma vantagem do seu estudo ― aliás, esse seria um excelente tema para um diálogo socrático.

O escritor cristão e a vaidade literária

O escritor cristão e a vaidade literária

Se há virtudes específicas de determinadas condições sociais, virtudes de estado, se assim se pode dizer (Santo Tomás não nos fala numa “prudência régia”?), há os defeitos de estado. Na nossa profissão de escritor, é a vaida-de. Ninguém escreveria, ninguém publicaria, se não fosse o estímulo deste sentimento…

A Sabedoria do Natal

A Sabedoria do Natal

Jesus Cristo, para alguns, não passa de um mito entre outros mitos; para outros, não menos irrefletidamente, qualquer coisa que termine em “ista” se lhe ajusta bem — idealista, moralista, socialista, o diabo. São poucos hoje os que o julgam por quem ele realmente é, o que transcende, naturalmente, a sua biografia terrestre, encapsulada, de resto, nos relatos bíblicos registrados por aqueles que o reconheceram como o Salvador dos homens, o Christos anunciado de antemão a todos os povos dispersos sobre a superfície da terra.

Breve resumo do presente

Breve resumo do presente

Vejo muitas coisas importantes acontecendo no mundo, mas que não vem recebendo a devida atenção e não são sintetizadas em uma narrativa única. Enquanto o vulgo ludibriado ainda se banha em álcool gel e treme de medo da mais nova variante atenuada do vírus, alguns desenvolvimentos decisivos estão em curso bem debaixo do nosso nariz e em breve afetarão toda a humanidade. Conhecê-los ou ignorá-los pode ser uma questão de sobrevivência.

Drama humano e transcendência

Drama humano e transcendência

Se uma das principais funções do mito é criar solidariedade comunitária pela percepção compartilhada de uma narrativa humana em comum, então parece justo dizer que os grandes mitos culturais do Ocidente tornaram-se, em sua maioria, inúteis.